Mitigação da perda pós-colheita

Agricultura Familiar / Mali-Uganda

Na maior parte da África Subsaariana, a agricultura de subsistência e a pecuária são os principais setores econômicos e fontes de renda. No entanto, milhões de toneladas de alimentos são perdidas a cada ano devido a técnicas pobres de pós-colheita. Isto tem consequências dramáticas em termos de pobreza e insegurança alimentar na região. 

NOSSO IMPACTO

icon-farmers.png

10.400

AGRICULTORES ENVOLVIDOS EM MALI E UGANDA

icon-women2.png

+60%

DOS AGRICULTORES PARTICIPANTES ERAM MULHERES

icon-beneficiaries2.png

71.800

BENEFICIÁRIOS ENTRE UGANDA E MALI

certificate2.png

100%

DOS PRODUTOS DAS ORGANIZAÇÕES-ALVO CUMPRIRAM PADRÕES DE QUALIDADE

Nosso trabalho

Apoiada pela Fundação e em parceria com o Programa Mundial de Alimentos, a iniciativa se destinava a combater a pobreza e a insegurança alimentar no nordeste de Uganda e em Sikasso, na região de  Mali, ajudando a reduzir os níveis alarmantes de perdas pós-colheita. Isso foi feito ao melhorar todo o espectro da gestão da cadeia de suprimentos, começando no nível do campo, onde é mais necessário. O programa também serviu como teste para soluções de armazenamento em grande escala, incluindo novas tecnologias, como unidades de armazenamento hermeticamente fechadas e construídas localmente. Os agricultores de baixa renda também receberam treinamento em técnicas de colheita, debulha, secagem e armazenamento e tiveram acesso a equipamentos de armazenamento adaptados às suas necessidades a preços subsidiados.

Principais impactos

Com equipamento de armazenamento hermético simples, mas de qualidade superior, e treinamento sobre como utilizá-lo, os pequenos produtores conseguiram proteger suas colheitas de deterioração e pragas. Também conseguiram armazenar as culturas pós-colheita, mantendo-as para consumo posterior ou para esperar por melhores preços de venda, conforme necessário. Maiores volumes de grãos disponíveis para consumo e venda resultaram em mais segurança alimentar e renda familiar, enquanto a melhoria na qualidade dos grãos teve grande impacto nos níveis de aflatoxinas, uma fonte de desnutrição e problemas de saúde na região. Por fim, o desenvolvimento de silos construídos localmente aumentou muito a atividade econômica nas comunidades. 

Sobre nosso parceiro

ldf-logo-wfp.png

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) é a maior agência humanitária de combate à fome global. Financiado inteiramente por doações voluntárias de governos e fundações, o PMA é o braço de ajuda alimentar da ONU e um instrumento fundamental na promoção da segurança alimentar. Essa iniciativa faz parte da iniciativa Purchase for Progress (P4P) do PMA, que conecta pequenos produtores a mercados ao alavancar a aquisição do PMA, e investe em capacitação em nível nacional para gerar resultados sustentáveis para aumentar a segurança alimentar nacional em longo prazo.

Duração do projeto

2015 - 2016 (Uganda) e 2016 - 2017 (Mali)

 

DEPOIMENTO

Eu costumava perder um estoque considerável durante o período de armazenamento devido a infestação por fungos e pragas. Graças ao treinamento em qualidade de sementes e em redução de perdas pós-colheita, descobrimos novos métodos para armazenar grãos, como silos, tanques e sacos triplos, bem como técnicas para controlar a umidade.

Bakaridjan Diarra

Yeredeme Cooperative, Nossombougou, Mali